quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Avaliação (Review): Soft99 Authentic Premium É boa? Vale a pena? Como usar? Testamos a Soft99 Authentic Premium!

Fala galera, tudo na boa?

Recebemos da Soft99 a cera Authentic Premium, uma das ceras com alguns mimos bem interessantes para o pessoal que gosta de exclusividade.

Essa é uma cera em pasta macia à base de carnaúba premium, com material selecionado e produzida artesanalmente, com produção limitada e algumas características bem interessantes que à diferem das demais comercializadas no Brasil.

Começamos então pela embalagem:

A latinha conta com uma borda emborrachada, isso significa que você pode colocá-la diretamente na lataria do carro sem o risco de riscar a pintura.

Isso traz praticidade e agilidade no processo de enceramento.

Na tampa da lata temos uma mini escova, para remover qualquer excesso de cera dos cantinhos das borrachas e etc, com segurança e exatidão.

O aplicador possuí formato diferenciado, o que facilita a coleta de cera para aplicação, tendo em vista que podemos usar os dedos para segurar ele e girar dentro da lata, prevenindo buracos na cera quando tiramos ela com o aplicador para o uso.

Além disso, existe um lado com tecido super macio, para uso durante os trabalhos. Essa face com tecido garante maior aproveitamento e rendimento da cera, tendo em vista que os poros da espuma aplicadora tendem à concentrar produto.

Características: É uma cera neutra, sem grande capacidade de limpeza, cera com compostos naturais, com aroma muito agradável durante o uso e após a aplicação, não exigindo ao meu ver uso de máscaras para aplicação. Não possuí micro abrasivos, portanto não remove riscos.

Aplicação: Trata-se de uma cera em pasta fácil de espalhar na pintura, não seca facilmente durante a aplicação, facilitando a cobertura mesmo em dias quentes, com muito vento e aplicações em dias muito secos.
Deve ser aplicada peça à peça com tempo de cura para remoção variando entre 5 e 15 minutos por painel, sem grandes dificuldades de remoção do excesso de cera quando seco, podendo ser facilmente removida após seca com uma nova aplicação da cera e remoção na sequência, sem a espera do tempo de cura.
O tempo de maturação varia entre 4 e 8 horas, para que a cera atinja seu padrão de dureza e proteção.

 

Pode ser usada em pintura fosca?


Sim! Porém não espere o tempo de cura, apenas aplique e na sequência já remova, para não manchar a pintura fosca. O grau de proteção e durabilidade ficará prejudicado sem dúvidas.

Dá para remover com a roto orbital?

Sem problemas! confira nos vídeos abaixo como proceder:

https://www.youtube.com/watch?v=swZBH1q14FI
https://www.youtube.com/watch?v=nhmi8jnqAXQ

Dá para aplicar com roto orbital?

Não recomendo aplicação de ceras em pasta com politriz roto orbital.

Rendimento: Tendo em vista o mencionado anteriormente, o rendimento da Authentic tende à ser acima da média das demais carnaúbas em pasta na mesma categoria que uso atualmente. Um detalhe bem interessante é que esta lata tem 200g, o que você deve levar sempre em conta na hora da compra. É uma cera que fará mais de 30 aplicações em carros médios com tranquilidade.

Durabilidade: A durabilidade de uma cera como essa na pintura tende à ser algo em torno de 3 meses, com perda gradual de grau de repelência à aguá e lisura ao tato, com lavagens de 15 em 15 dias conforme mecanismos de lavagem que mencionamos no canal.


Manutenção: Entre os 3 meses, recomendo que, sempre após a descontaminação com clay bar ou após 4 lavagens, seja aplicada uma cera líquida à base d'água (Quick Detailer) para maximizar a vida útil da proteção e melhorar o aspecto de tato, brilho e limpeza, ajudando na proteção e minimizando a quantidade de contaminação grudada na pintura entre as lavagens e manutenções da pintura.

Posso aplicar por cima da Fusso?

Não recomendo combo de ceras pois a Fusso possuí um padrão de repelência superior as demais ceras do mercado, característica essa que será anulada pelo uso da Authentic após o enceramento com a Fusso.

Mascaramento: Boa capacidade de cobertura de pequenos riscos e hologramas leves.

Devo umedecer o aplicador / microfibra durante o uso da cera?

Não, esta é uma cera que não deve ser aplicada ou removida com pano umido / molhado. Isso trará manchas na pintura.

Posso usar em um carro recém pintado?

Não recomenda para repintura com cura inferior à 30 dias.

Esse padrão de cera eu uso nos meus trabalhos de polimento, cristalização e após as lavagens na etapa de proteção em serviços que faço para meus clientes, sendo minha "proteção básica" oferecida como acabamento final após os trabalhos.

Uso ceras líquidas para finalizar meus trabalhos?


Somente em repinturas e carros previamente tratados com ceras como a Authentic.

Soft99 Authentic Premium pode ser usada nos faróis?

Sim, sem problemas.

Soft99 Authentic Premium pode ser usada nos vidros?


Como já comentamos anteriormente, não deve ser usada no para-brisa.

Vídeo completo do review, teste e uso da Cera Soft99 Authentic Premium:



www.rodrigogsi.com.br

Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527



sexta-feira, 27 de julho de 2018

Princípios e dicas de como recuperar para-choques: Recuperação de para-choques com solda plástica como fazer corretamente.

Bom dia pessoal.

Seguindo mais uma compra para a oficina, hoje chegou a vez de falar sobre recuperação e solda de parachoques.

Antes de apresentar um equipamento para recuperar parachoques quebrados e trincados e peças plásticas em geral, vou comentar alguns pontos importantes sobre o processo de recuperação de parachoques e peças plásticas.

Existem diversos tipos de materiais plásticos empregados no mercado automotivo para construção de para-choques e etc, alguns mais flexíveis, outros menos, alguns mais resistentes e outros menos.

Tendo em vista o fator "tipo de plásticos" devemos ter em mente a primeira e mais importante regra:

1. Para soldar para-choques e plásticos, devemos utilizar obrigatoriamente o mesmo tipo de plástico para fazer a emenda, a solda, o enxerto.

Isso vai assegurar que o plástico terá a mesma temperatura de fusão e a mesma característica química do original. À grosso modo podemos dizer que teremos um material compatível com o outro para soldar.

A maioria dos para-choques são de polipropileno (PP). Portanto devemos usar o mesmo tipo de plástico PP para fazer enxertos e soldas.

Agora, vamos as demais dicas básicas sobre o processo de reparação de para-choques e peças plásticas em geral que devemos ter sempre em mente para fazer o reparo!

2. Temperatura: Cuidado ao derreter e soldar o plástico!

Procure na internet pelas informações de temperatura de fusão do plásticos que você está reparando, tanto para não aquecer demais as peças como para não aquecer de menos. Esse é um fator importante para evitar que as peças e a solda se solte com qualquer pequeno impacto e torção.

Utilize um termômetro digital com infravermelho, isso ajuda no reparo até que tenhamos prática com a solda.

3. Isole a trinca!

Muitos reparos trincam novamente após um tempo. Isso pode ser minimizados fazendo um furo com uma broca levemente maior nas extremidades da trinca (vértices da trinca). Isso evita que a trinca se propague.




4. Lixamento e preparação para a solda.

É fundamental que o plástico esteja completamente isento de tinta, cola e qualquer material que não seja ele mesmo. Deve-se lixar ou passar escovas de aço (ou qualquer outro meio de desbaste eficiente) para deixar o plástico exposto, sem nada de tinta e material de reparo como massas, colas e etc.

A solda plástica é feita com plástico sobre plástico. Somente após uma boa solda é que podemos fazer qualquer correção para acabamento.

5. Utilização de grampos.

Sempre que necessário, faça o alinhamento da trinca antes de fazer a solda, ou seja, posicione a peça corretamente na posição a ser soldada de modo que ela fique bem presa, seja por alicates de pressão, mordentes ou até mesmo pequenos pedações de arame que poderão ser removidos após a solda da área afetada ou, pelo menos, após o inicio da solda para que a peça seja alinhada de um lado e do outro.

Isso evita uso excessivo de massa na preparação para pintura.

6. Massa plástica e poliéster.

Pode ser usada sem problemas em finas camadas para o acabamento. Em caso de plásticos anti aderentes e afins, fazer testes utilizando seladora para plásticos antes da aplicação de qualquer massa.

As dicas acima servem para qualquer solda plástica, independente da ferramenta que você irá usar para fazer a solda / emenda das peças.

Grande parte dos problemas de reparos ineficazes em parachoques ocorre por não serem respeitadas as regras básicas apresentadas acima.

Seguindo essas dicas sua solda será mais resistente e certamente seu reparo será duradouro.

7. Flexibilidade e torção.

Lembre-se que, embora seja feita da maneira correta, certamente o local da solda sempre terá um grau de flexibilidade menor do que o restante da peça. Evite utilização de material muito rígido para fazer reparos em para-choques e peças mais flexíveis, especialmente nas quinas. Um exemplo de material mais rígido que será mais suscetível à quebras é a laminação por fibra de vidro.

Não digo que ela não pode ser usada, mas deve ser usada em áreas retas e com menor chance de torção e pequenos impactos.

8. Diferentes tipos de reparo em para-choques:

Para cada dano podemos usar diversas soluções, algumas delas são:

- Solda: Consiste em fazer a solda plástica das duas partes.
- Colagem: Utilização de colas de alta resistência e resinas que unem o plástico sem a necessidade de aquecimento prévio.
- Emendas: Utilizando arames, massas e afins para fazer a emenda e colagem das partes.

9. Como escolher qual processo de recuperação de plásticos utilizar?

Devemos avaliar bem o dano de acordo com o tamanho, local e flexibilidade.

Para danos maiores devemos usar mecanismos mais robustos e eficientes, além de mais duráveis, como a solda.

Para peças pequenas, que não sofrem torções e são rígidas, podemos usar mecanismos que não proporcionam algum grau de flexibilidade porém são rígidos e eficientes para o propósito, tais como massas e colas. Peças internas podem ser soldadas dessa maneira.

A praticidade do processo também deve ser avaliada. Existem casos que usar uma cola ou massa de boa resistência, aliadas à um reforço estrutural da peça vão surtir o efeito desejado. Podemos colocar aqui adaptações de peças internas que ficam escondidas e soldas em áreas pequenas como trincas em saias e spoilers laterais.

Exemplo: O uso de grampos de arame é um mecanismo excelente do ponto de vista de durabilidade, porém em casos aonde o processo é feito com furos, dar o acabamento pode ser algo complicado e que exija muita massa. Sendo assim pode ser ineficiente em reparos de áreas expostas como os parachoques.

Por isso, cada caso é um caso. Devemos pensar e refletir sobre qual é o melhor mecanismo para fazer o reparo.

10. EPIs.

Utilize sempre uma boa luva. Recomendo as de couro.

Utilize também seu respirador contra vapores orgânicos pois a fumaça produzida pelo plástico é nociva.

Agora, vamos ao vídeo com mais dicas sobre o processo de solda plástica e a diferença entre usar o Termofusor e o Parafix.




Vídeo 2: Parafix V8 Brasil.



#ficaadica

Forte abraço e até o próximo!

Obrigado!

Tags:solda plástica,como soldar plásticos,como recuperar parachoque,como soldar parachoque,como soldar parachoque e evitar trincas futuras,faça você mesmo soldar parachoques,como recuperar trinca em parachoque,como emendar parachoques,como soldar peças plásticas,dicas para solda de plásticos,dicas para soldar plásticos,como soldar plásticos corretamente,termofusor,soldador de parachoques,soldador de parachoques v8 brasil,soldador de parachoque com grampo,soprador térmico,como se solda parachoques,como se recupera parachoque trincado,como consertar parachoque,como consertar trinca em plástico,como colar plástico,kit reparador de parachoques,vedachoque,soluções para soldagem de parachoques,soluções para recuperação de parachoques,recuperação de parachoques,recuperar parachoque quebrado vale a pena?,recuperar parachoque trincado vale a pena?,ferro de solda para parachoques,

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Problemas com Vazamento de Ar na Pistola de Pintura Pistola de Pintura Vazando Ar: Possíveis causas e soluções, como resolver vazamento de ar na pistola de pintura?

Olá pessoal.

Recentemente recebi uma dúvida de um amigo relacionada ao tema do vazamento de ar na pistola de pintura.

Problema: A pistola de pintura vaza ar mesmo sem acionar o gatilho, como resolver?

Normalmente esse problema está relacionado ao alinhamento do pino que libera o ar no momento que pressionamos o gatilho.

O gatilho funciona em dois estágios:

1. Liberar o ar (aperto mais leve).
2. Puxar a agulha e liberar o líquido (aperto mais pesado).




Em modelos básicos como as HVLP 827, os mais comuns do mercado, o pino que libera o ar é separado do que recua a agulha, sendo posicionado perto do centro do gatilho.

O que ocorre em muitos casos é o acumulo de sujeira nesse pino, o que impede ele de voltar ao normal após acionar o gatilho, tendo em vista que ele tem um funcionamento bem leve e sensível à qualquer coisa que possa emperrar o pino.

A solução muitas vezes é a limpeza e o reaperto / realinhamento desse pino.

Outra medida que ajudar à prevenir o acumulo de sujeira e ajuda no funcionamento mais livre é o uso de vaselina líquida após toda a limpeza da pistola de pintura. 

Obviamente que em pequena quantidade.

Caso o problema persista, desmonte por completo o pino que libera a passagem de ar, faça a limpeza mais profunda e realize novamente a montagem do conjunto.

Na maioria dos casos o problema será solucionado facilmente com limpeza, lubrificação e reaperto.

Existem modelos em que a liberação da passagem de ar é feita diretamente junto ao recuo da agulha, ou seja, não existe um pino de liberação de ar especifico para ela.

Basicamente o procedimento de correção deve ser o mesmo, verificando a lubrificação na região e alinhamento dos componentes do gatilho da pistola.

Além disso, talvez seja necessário troca de algum componente que sofre desgaste, tais como anéis de vedação, gaxetas e componentes emborrachados em geral que servem 

como mecanismo de vedação e ajuste da pistola, os quais sofrem desgaste com uso e ação dos solventes utilizados na pintura e nas tintas.

Mais um ponto de atenção que deve ser verificado em caso de vazamentos é o acionamento do gatilho da pistola.

Gatilho pesado faz com que ele não volte completamente à posição no momento em que soltamos o gatilho, consequentemente pode continuar à liberar a passagem de ar e até mesmo de fluído durante o uso.

A melhor prevenção para vazamentos na pistola de pintura é a limpeza correta do equipamento após cada uso, não deixe para depois!

Como limpar a pistola de pintura?

https://www.youtube.com/watch?v=A8rs9dO3Hss

Obrigado! Até a próxima!

http://www.rodrigogsi.com.br

https://www.youtube.com.br/rodrigogsi

https://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Na Garagem: Pintura com aspecto áspero, sem brilho, opaca, sem reflexo, pintura descascada. Dá para resolver com polimento?

Galera, peguei um trabalho para fazer que vale a pena um post por aqui.

Trata-se de um carro com repintura de teto e capô, aonde a pintura ficou com aspecto completamente poroso, opaco e sem reflexo.

Como deve ter ocorrido o problema?





Possivelmente uso inapropriado da pistola de pintura, diluente errado, verniz de baixa ou má qualidade são os 3 fatos principais para o ocorrido, que podem ou não ter acontecido em conjunto mas, vamos ao que interessa.

O capô e o teto foram pintados da mesma maneira, ao mesmo tempo.

Capô: Destacamento de verniz.

Pelo destacamento vemos que o verniz está opaco, sem brilho, em aspecto semi-brilho.

Espessura da camada de verniz aplicada sobre a tinta: 40 mícrons.


O destacamento pode estar ocorrendo por N motivos, porém, analisando o carro e o aspecto das peças temos basicamente os pontos abaixo como causadores isolados ou em conjunto para o defeito de destacamento:

- Preparação errada da peça para pintura levando em conta todos os passos de lixamento e preparação da superfície para ancorar bem a tinta ou verniz.

- Verniz de má qualidade aliado à temperatura elevada da peça durante o uso do veículo.

Teto: Aspecto sem reflexo e com baixo brilho.

Já no teto, não temos uma temperatura tão elevada e variações bruscas de temperatura incluíndo choque térmico constante, portanto, o verniz não está destacando da peça.

Podemos aqui adotar um lixamento leve à fim de melhorar o aspecto de reflexo da peça e abrir brilho com polimento padrão.

A peça chave aqui é o fato de trabalhar em algo já comprometido, tomando cuidado com o lixamento, lixando sempre com a lixa mais fina que puder evitando desgaste excessivo do verniz e o aparecimento de possíveis defeitos do processo de repintura, os quais podem ficar muito mais aparentes após o polimento, tais como pés de galinha, mapeamento de massa, riscos de lixa e etc.

Tenha sempre bom senso ao tentar solucionar problemas de pintura com polimento, especialmente se envolver repintura de terceiros como é o caso deste trabalho.

O que pode ocorrer após o lixamento?

Pode não abrir brilho, ficarem pés de galinha na pintura e até mesmo aparecimento de menchas e verniz queimado, tendo em vista que nunca sabemos qual a espessura de verniz que podemos lixar em uma repintura.

A primeira etapa foi fazer um lixamento "agressivo", usando a politriz rotativa em conjunto com a lixa P3000.

Os cantinhos foram feitos manualmente com taco para lixa fita P3000.

Após o processo de lixamento na máquina, obtivemos o seguinte resultado:




O lixamento foi feito seguindo todas as recomendações que passo em meus vídeos sobre lixamento em polimento usando politriz e roto orbital, poranto, basta ver no meu canal no Youtube os vídeos relacionados ao lixamento trizact.

A primeira fase do polimento foi feita em cima do lixamento inicial somente com a máquina, usando boina de espuma média e líquido polidor de refino e lustro, 2 em 1.

Todavida, devido à indulação natural da chapa e lixamento com a máquina, ficaram pequenas áreas que necessitaram de mais lixamento, não dando um bom acabamento após o lixamento (mesmo que com muitas passadas) com a máquina.



Resolvi então forçar mais o lixamento, porém agora com taco e lixa manual, na configuração 3000.

Resultado do lixamento:


Antes de lixar novamente manualmente, assim como no teste de lixamento P3000 que fiz antes de lixar a peça toda, fiz um teste taqueando e polindo uma pequena área para ver se ainda conseguiria melhorar o aspecto de reflexo e brilho dessa repintura, o resultado foi positivo.

À partir daí lixei o teto novamente e o resultado do lixamento é o seguinte:




Depois de lixado, fiz o polimento usando polidor de refino e a mesma boina de espuma de refino para dar o acabamento e remover as marcas de lixa agora 3000.

O resultado agora foi satisfatório e condizente com o de uma boa pintura:



E o capô?

No capô fiz o polimento com polidor de corte e boina de lã, passando longe das áreas de destacamento de verniz e depois usei o lustrador com boina de espuma super macia, para amenizar pequenos riscos e manchas. Feito isso, proteção com cera líquida ou pasta, sem excesso de pressão na hora de remover a cera para previnir mais destacamento.

Em breve estarei trabalhando na pintura do capô e possivelmente do teto, para sanar os problemas.

Dá para aplicar verniz quando ele está descascando?

Não dá para lixar o carro e aplicar verniz. Apesar de ser uma das técnicas de retoque, não devemos fazer esse processo pois com o tempo irão aparecer as manchas e marcas da aplicação de verniz sobre tinta ou verniz lixando. A camada de verniz não tem aderência suficiente para ser algo durável e de qualidade quando aplicada sobre um lixamento fino de ativação de verniz (P1200 por exemplo), favorecendo muito o destacamento.

A expectativa do cliente, que diga-se de passagem é meu amigo, era de melhorar o aspecto do teto, tendo em vista que o restante do carro está muito bem conservado de pintura, necessitando somente de remoção de pequenos hologramas e teias de aranha.

Portanto atuei no foco da necessidade dele.

Qual é a peça chave?

Alertar o cliente sobre os riscos de fazer a correção bem como os próximos passos caso dê algo errado.

Ter bom senso de não querer resolver tudo ou não querer deixar qualquer defeito de repintura em estado de novo pois o risco é sempre alto.

O bom senso aí entra na etapa do lixamento e polimento dessas áreas, visando usar uma lixa fina o suficiente para melhorar o aspecto da pintura, sem querer deixa-la como uma repintura em padrão original.

Normalmente quando pegamos repinturas assim o processo de preparação para receber a pintura foi errado, o que favorece sempre o aparecimento de defeitos antes e após o polimento.

Como lixar com politriz e lixas trizact?
https://www.youtube.com/watch?v=p7c18teb5_E

Como lixar com fita de lixa trizact p3000?
https://www.youtube.com/watch?v=F6_9Vsl0oUg

Como lixar a pintura na mão?
https://www.youtube.com/watch?v=LsMHUkaj71o

Como polir com boinas de espuma após lixamento p3000 e 3000?
https://www.youtube.com/watch?v=tqHS2a1SwI8

Demonstração de polimento completo de corte, refino e lustro usando boinas CCS 6 polegadas.
https://www.youtube.com/watch?v=Sf1Av3nmm9E

Apresentação do medidor de espessura usado no serviço.
https://www.youtube.com/watch?v=tXEGqFiVr7M

Como usar e para que servem medidores de espessura?
https://www.youtube.com/watch?v=W3nmmIlP490

Curso de espelhamento de pintura.
http://rodrigogsi.blogspot.com.br/2017/04/curso-gratis-de-polimento.html

Curso de polimento automotivo.
https://www.youtube.com/playlist?list=PLOBwobDiU6xPMN50qkhEEaF5flCaNxWO3

Como aparecem e quando ocorrem os defeitos de repintura?

https://www.youtube.com/watch?v=lxmM_Lglcck
https://www.youtube.com/watch?v=HkHxbGs94JE
http://rodrigogsi.blogspot.com/2016/05/techlab-esse-defeito-sai-no-polimento.html









Setup:

Lixamento Trizact P3000 na Rotativa, 3000 manual.

Polimento com Politriz Rotativa e Boinas CCS 5 polegadas.

Kit Nanopolisher.

Polidores NSWAX.

Liquid ICE Step 2 Norton.

Cera Spray Norton Liquid ICE (limpeza e inspeção).

Cera Fusso Coat (Carros Claros).

Cera Paste WAX Carnaúba Neutra Norton nas áreas pintadas em preto fosco.

sábado, 9 de junho de 2018

Pistola de Pintura Arprex ECO 21 HP 1.4 (PARTE 1): Apresentação, Demonstração de Uso

Fala galera, tudo certinho?

Recentemente vocês ganharam a Pistola de Pintura ECO 21 HP LVLP com bico 1.4 da Arprex, para testes e demonstração de uso no canal.

Deixo aqui meu muito obrigado à todos vocês que acompanham nossos vídeos, nossos artigos e também ao pessoal da Arprex pela confiança em meu trabalho.

Faz algum tempo já que recebi a pistola e estou fazendo alguns trabalhos e testes com ela.

Nesse primeiro vídeo vou mostrar os detalhes básicos da pistola e um teste inusitado: 

Uso de tinta à base d'água Latex, o que não é recomendado para pistolas de pintura devido ao fato da rápida secagem e composição quimica da tinta, o que desfavorece a atomização.

Fotos detalhadas da pistola:







Tamanho de leque: Entre 10 e 15 cms de leque efetivo à pressão de 30PSI no regulador (10 PSI na capa de ar como recomendado pelo fabricante).

Itens inclusos:

Pistola de Pintura ECO HP 1.4.
Coador.
Manual de instruções.

Não possuí chaves de aperto e acessórios para limpeza, bem como o meu modelo não vem com regulador de pressão para a pistola.

Apresentação e teste inicial:



Fotos da peça pintada sem lixamento para nivelamento e preparação da superficie:




No próximo vídeo estarei aplicando verniz automotivo com ela.

Sugira novos temas para trabalharmos os testes futuros da pistola utilizando o campo comentários!

Obrigado!

Até o próximo.

Material auxiliar:



www.rodrigogsi.com.br

Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527

sábado, 2 de junho de 2018

Avaliação (Review): Soft99 Fusso Coat: É boa? Como usar? Dicas e muito mais!

Olá pessoal, tudo bem?

Uma das maiores dúvidas do pessoal que acompanha meu trabalho de polimento e detalhamento automotivo é o uso das ceras.

Dentre todas as dúvidas de diferenças de tipo, aplicação e etc, uma das mais abordadas é a durabilidade!

Muitos de vocês tem me procurado com dúvidas referentes ao grau de proteção e durabilidade da cera na pintura do veículo.

O que tenho à dizer é que isso varia muito de acordo com a lavagem e manutenção do carro antes e depois da aplicação da cera:

1. Antes: Lavagem e descontaminação com caly bar ou descontaminante quimico após a lavagem são os passos minimos para aplicar a cera no veículo e ter a durabilidade e efeito (da cera aplicada) desejado e em sua totalidade.

2. Depois: Lavagem e descontaminação com produtos apropriados, evitando uso de produtos muito agressivos e com pH não neutro. Evite ao máximo o processo de lavagem com produtos quimicos inapropriados e / ou muito fortes, tendo em vista que eles irão comprometer a camada de cera aplicada na pintura.

OK, mas, eu quero saber uma boa cera focada em durabilidade e repelência.

Aí entramos nos produtos Fusso da Soft99.

Hoje não trabalho muito com vitrificação de pintura, ainda não escolhi uma boa marca tão quanto não pesquisei a fundo qual produto e qual grau de proteção desejo atingir com serviços de vitrificação de pintura.

Porém, com as ceras e selantes o processo é diferente.

Tenho basicamente 3 tipos cenários de uso de ceras e selantes:

1. Cleanner (Limpadora): Busco um grau de limpeza na pintura do veículo, deixando com tato mais liso e removendo manchas, pequenos riscos e oxidação leve na pintura.

2. Neutras focadas em proteção: Proteção de média duração utilizando ceras sem micro abrasivos, focadas em proteção e manutenção de brilho. Normalmente carnaúba simples em pasta.

3. Proteção de longa duração:
Proteção de pintura com média e longa duração. Normalmente mais de 6 meses quando aplicadas sobre a pintura.

Além das 3, temos também as ceras de manutenção de brilho, as famosas Quick Detailers, as quais usamos quando já temos alguma das ceras acima aplicadas, focando em limpeza e otimização da vida útil da cera ou selante aplicado anteriormente, sem comprometer a camada de cera aplicada na pintura.

Vamos focar então no ponto durabilidade!

Todos sabem que tenho investido nos produtos da Soft99 nos meus últimos trabalhos e reviews.

Dessa vez trago novamente um produto Soft99 para trabalhar especialmente no quesito proteção e repelência.

Tratamos aqui da Cera Fusso.

Essa cera possuí duas configurações, uma para caros claros, tais como brancos e prata, outra para carros escuros, como vermelho e preto.

Ambas possuem o mesmo foco e a mesma configuração, diferentemente das ceras Soft99 White (cera limpadora) e Soft99 Black (cera neutra), que se cruzam no ponto durabilidade e repelência, pois tem o mesmo resultado final em termos de durabilidade e repelência.

Voltando à Fusso: Por que escolher a cera Soft99 Fusso?

Os produtos Fusso tem a tecnologia do uso do Flúor como agente de proteção. Esse componente traz alto grau de repelência a água sobre a pintura e alto grau de proteção, deixando a pintura limpa por mais tempo e facilitando na lavagem do carro.

Uma das necessidades dos meus clientes é o fato da proteção duradoura e repelência acima da média, para atender à esses requisitos, resolvi experimentar a Fusso.

Consistência: Trata-se de uma cera com consistência sem rígida, ou seja, ela é mais dura do que as carnaúba em pasta neutras tais como NSWAX, Black Wax, Authentic e etc. Isso se traduz em maior cuidado durante a aplicação.

Aplicação: Cera que, ao meu ver, deve ser aplicada com maior cuidado pois seca mais rápido e é mais dura para reitirada. O tempo recomendado varia entre 5 e 10 minutos de cura. Recomendo aplicar peça à peça e ficar atento ao tempo de secagem enquanto está aplicando, evitando excesso de cera e aplicando um filme fino e uniforme na pintura.

Ao curar para remoção ela normalmente ficará com aspecto esbranquiçado e normalmente irá soltar pó na remoção, não tanto quanto a White Wax e demais ceras limpadoras, porém é normal soltar um pouquinho de pó.

Aroma: Na lata o aroma de solvente é o mais forte perante as demais que tenho utilizado, portanto, recomendo aplicação em local ventilado e com mascara comum. Aproveitando o gancho, sempre com luvas para aplicar e remover. Após o uso o cheiro é agradável e não incomoda.

Tempo de Maturação (tempo necessário para que a cera tenha 100% de suas propriedades e características funcionais atingida na pintura após aplicação): Cerca de 12hrs. Recomendo aplicar a noite e deixar o carro em repouso em garagem coberta até o outro dia para ter a cera completamente curada para uso do veículo.

Mascaramento de riscos: Mascara levemente os riscos da pintura.

Profundidade e Brilho: Para minha surpresa, nitidamente consegui ver a diferença do aspecto de reflexo e brilho quando testei a cera no capô preto de testes. Embora não seja uma cera focada em mascaramento de riscos e profundidade de brilho, essa característica me chamou muito atenção pois o resultado foi muito legal. Deixou um brilho molhado por um longo período de tempo, não perdendo essa característica conforme passaram-se os dias e houve ação do tempo.

Repelência: Essa é a maior característica dessa cera perante as concorrentes. A repelência à água é fenomenal, algo muito aquém do que as ceras e selantes que tenho utilizado oferecem. Isso significa que seu carro irá acumular menos sujeira, até mesmo as mais pesadas que grudam na pintura, e irá ser mais fácil de secar após o uso (chuva, lavagem e etc), diminuindo também o aparecimento de manchas.

Proteção: Devido à sua formulação sintética com uso do composto Flúor, sua resistência à ação do tempo é superior ao que outras ceras e selantes me entregam até o momento. Segundo informações técnicas essa proteção pode chegar à até 12 meses ou cerca de 24 lavagens.

Tenho usado essa cera em alguns trabalhos e os clientes tem me dado um bom feedback em termos de facilidade de lavagem, durabilidade de brilho após o tratamento (seja ele envolvendo polimento e correção de pintura ou somente lavagem e proteção) e repelência à água e tato.

Cera ou Selante? 

Tendo em vista que o produto certamente bate os 6 meses de durabilidade e proteção, desde que respeitado o uso de produtos e mecanismos corretos para lavagem e manutenção de brilho, essa cera pode ser chamada de selante e bate pau à pau com muitos selantes no mercado.

Cera marcada pela facilidade de uso, produto acessível tanto para uso hobby como para uso profissional, prático e com alto valor agregado ao meu ver, pelo resultado obtido quando usada.

Posso aplicar a Fusso nos faróis?

Sim.

Posso aplicar em plásticos e borrachas?
Não testei, porém não recomendo pelo fato de poder deixar manchas esbranquiçadas após a cura e remoção, especialmente em plásticos porosos.

Porém pode ser usada em qualquer superfície pintada com padrão automotivo PU (tinta PU) ou Poliéster (tinta + verniz).

Posso usar essa cera em todas as lavagens?

Pessoal, essa cera tem alta durabilidade, ou seja, não é necessário encerar em todas as lavagens. O necessário é fazer a descontaminação adequada sempre que necessário, usando a clay bar e quick detailer.

Qual cera posso usar para remover pequenas manchas e ajudar na secagem?

Ceras líquidas de carnaúba em geral, tais como Luxury Gloss, Norton Spray, etc.



Fusso para cores escuras: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1037247149-soft99-fusso-coat-black-selante-cera-sintetica-200g-_JM


Fusso para cores claras: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1037242955-soft99-fusso-coat-white-selante-cera-sintetica-200g-_JM

Dicas:

1. Se tiver dificuldade em trabalhar com ela peça a peça, divida a peça em duas e aplique em áreas menores.
2. Não recomendo utilizar nos vidros com limpadores pois pode trazer problemas de tripidação ou embaçamento em excesso em diferenças de temperaturas bruscas da parte interna para a parte externa do carro, como qualquer cera de carnaúba em pasta.
3. Aplicação em pintura fosca: Tomar cuidado com o tempo de cura e remoção pois pode deixar a pintura marcada facilmente, comprometendo o acabamento final e deixando rastros de ceras, ou seja, será possível ver a movimentação que você fez com o aplicador sobre a pintura. Comportamento comum no uso de ceras em pintura fosca (que é naturalmente mais áspera).
4. Não possuí abrasivos, portanto não desgasta a pintura.
5. Tanto a branca quanto a preta podem ser usadas em qualquer cor, sem problemas.

Concluo o tema com a seguinte frase:

Se você busca durabilidade, resistência e repelência acima da média das outras ceras e selentas que você já usa, certamente a Fusso é uma boa opção.

Para mim caiu como uma luva pois eu consegui ter um padrão de acabamento bem distinto dos demais que tenho usado até hoje.

Certamente o valor da aplicação será levemente mais alto, porém o rendimento da cera é alto, talvez até maior do que o das ceras em pasta mais moles (como a Black, NS Paste Wax, Lincoln e etc), por ser mais econômica na hora que usamos o aplicador para pegar a cera.



Soft99 Authentic X Fusso Black




Fusso Black & White






É isso aí pessoal.

Muito obrigado e até o próximo!


www.rodrigogsi.com.br

Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Review (Avaliação): Mini Pistola de Pintura PPK4 V8 Brasil: É boa? Vale a pena? Como usar?

Muitas vezes vamos fazer pequenos retoques e pintura de pequenas peças e precisamos de economia de tinta e material, além de uma névoa mais fina e precisa, minimizando desperdício em névoa e camada muito grossa de produto sobre a peça.

Para isso usamos pistolas menores, com bicos menores, as quais nos dão maior precisão nos reparos e são mais rápidas de limpar do que as convencionais.

Isso traz praticidade para os trabalhos.

Hoje vamos ver em funcionamento a Mini Pistola de Pintura HVLP 0.8mm V8 Brasil, a qual será utilizada para pintar essa pequena parte do aerofolio que orinalmente preta.

Fazer pinturas pequenas como essa com uma pistola menor, acredite, traz mais rapidez no trabalho e mais facilidade de uso do que se utilizarmos a pistola convencional que temos com bico maior e copo maior.

O desperdício de material é bem menor e o material gasto para limpeza também é menor.

Esta pistola possuí as 3 regulagens de uma pistola de pintura profissional, que são leque, vazão e pressão, via ajustes convencionais pelos parafusos.




A caneca tem capacidade de 125ml.

Excelente para retoques, pintura de pequenas peças e locais de difícil acesso, para os quais uma pistola de pintura com caneca normal de 600ml não alcança.

Com uma pistola como essa é possível usar menos material preparado, ou seja, precisa preparar menos tinta, verniz, fundo para aplicar, por ter um caneco menor.

Além disso, normalmente precisamos aplicar produtos em pequenas quantidades em áreas localizadas, tais como wash primers e seladora para plásticos, os quais usamos pouquíssima quantidade de produto e em pequenas áreas localizadas das peças, ganhando tempo e aumentando a produtividade na oficina.

Boa taxa de transferência de material para a peça. A quantidade de overspray é ligeiramente alta, portanto, para pintura hobby como é o meu caso, temos que tomar cuidado com o overspray ocasionado pela pintura.

Pode ser usada com qualquer tipo de tinta, inclusive à base d'água.

Acabamento fácil e regulagem simples, não tem enrosco.


O que é atomização de tinta durante a pintura?

Clique aqui e confira!

Como pintar com pistola de pintura?

Clique aqui e confira!



Um pistola com ajuste bem sensível de vazão de fluído e boa cobertura de leque para pequenas áreas, ou seja, fácil de ajustar para cobrir exatamente o ponto que você precisa cobrir sem exagero de tinta ou muito overspray nas bordas do leque.

A pressão que uso sempre está na faixa de 30PSI (entre 25 e 35 PSI).

Trabalhei muito com essa pistola em minha casa, aonde a área para pintura é muito pequena e concentra facilmente névoa de tinta, obtive excelentes resultados sem muita névoa, sendo uma pistola boa para eu ter sempre em casa para pequenas pinturas automotivas com padrão profissional.

Espero que tenha gostado pessoal.

Se inscreva no canal rodrigogsi e acompanhe as novidades em primeira mão!

www.rodrigogsi.com.br

www.v8brasil.com.br

Contato: vendas@rodrigogsi.com.br

sexta-feira, 23 de março de 2018

Demonstração Completa de Produtos de Polimento Norton Liquid ICE

Olá pessoal, tudo bem?

Recebemos anteriormente um kit de produtos para embelezamento automotivo da Norton Brasil, para que eu pudesse testar e mostrar para vocês como os produtos funcionam.

Tive oportunidade de casar todos os trabalhos de embelezamento automotivo, ou seja, a parte de polimento envolvendo lixamento em pintura original e a parte de polimento em repintura.

Abaixo temos os vídeos detalhados sobre a apresentação e uso dos produtos:

1. Apresentação dos produtos e explicação sobre as combinações de polidores e boinas.



2. Processo de polimento em repintura PU / HS e MS.



3. Processo de polimento envolvendo lixamento hookit P3000 ("espelhamento" de pintura).


4. Massa de Polir Liquid ICE e Boina de Lã Norton em Detalhes:



Produtos bons que atendem aos requisitos tanto na área de estética automotiva como na área de polimento técnico em repintura, dando um excelente acabamento em poucas etapas. Produtos fáceis de usar e com curva de aprendizado super rápida.

O custo à principio é alto, porém tendo em vista a quantidade das embalagens, certamente vale a pena para o mercado de alto giro de serviços, como é o caso das oficinas de funilaria e pintura.

Se inscreva em meu canal no Youtube e acompanhe as novidades pois estarei sempre realizando trabalhos e com esse e outros materiais interessantes na área de polimento e pintura automotiva.

Obrigado e até o próximo!

www.rodrigogsi.com.br

Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527

sexta-feira, 16 de março de 2018

Avaliação: Teste de cera Soft99 Luxury Gloss Vale a pena? É boa? Como usar?

Um dos temas mais frequentes no mundo do detalhamento e embelezamento automotivo é a cera.

Existem diversos tipos de cera, algumas delas focadas em proteção, outras em brilho, outras limpeza e etc.

Já abordamos bastante o tema dos tipos de cera e seu uso no canal no Youtube e no blog, porém, certamente é sempre bom dar uma reciclada e passar novas dicas.

Hoje veremos o uso e cenário ideal de uso da cera líquida Luxury Gloss da Soft99.

Trata-se de uma cera rápida para uso nas manutenções entre as lavagens e aplicações de ceras com maior poder de proteção e durabilidade na pintura, melhorando a profundidade de brilho, deixando o tato mais liso e melhorando a repelência à água e diminuindo o acumulo de pó e sujeira grudada sobre a pintura.

É uma cera à base'd água com baixo poder de proteção, bom poder de limpeza e alto padrão de acabamento e brilho, como podemos ver na imagem abaixo:

Algo que chama atenção durante e após a aplicação é o aroma, cheiro perfumado e muito suave, ao contrário das ceras sintéticas já testadas anteriormente.

Mesmo sem lustro logo após a aplicação ela deixa um cheiro bom no ambiente em que estamos trabalhando.

Outro ponto forte da cera é seu alto rendimento, devido ao fato do mecanismo de uso ser com spray, algo caracteristico e enraizado nos produtos Soft99 e Glaco, como já vimos nos reviews anteriores dos produtos da marca.

Cera excelente para dar manutenção de brilho entre as aplicações de ceras como as ceras em pasta e sintéticas com alto padrão de proteção, pois não desgasta a camada de cera aplicada anteriormente, além de promover a melhora de brilho e repelência até novas aplicações de uma cera com foco em proteção.

Aplicação rápida, simples e fácil, sem manchas em borrachas e partes plásticas!



 Antes da aplicação da Luxury Gloss
Depois da aplicação da Luxury Gloss

Aprovado?

Sim, excelente Quick Detailer. Pode ser inclusive usada em repintura, logo após a pintura.

Confira também como fazer lavagem à seco.

Obrigado!

www.rodrigogsi.com.br

Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527