sexta-feira, 16 de maio de 2014

(Vídeo Aula) Funilaria e Pintura Automotiva: Eliminando defeitos com Massa Rápida e Massa Poliéster. Diferenças, Dicas e Como utilizar?

Olá pessoal, tudo bem?

Seguindo nossa séries sobre funilaria e pintura automotiva hoje venho apresentar para vocês aspectos gerais sobre o uso de massa na área de repintura automotiva.

As massas (massa rápida, massa plástica, massa poliéster, extra light, light, etc) devem ser utilizadas para correção de pequenas imperfeições na chapa, após lixamento e tratamento prévio, visando correta aderência e preenchimento.

Ambas as massas possuem um leve poder de flexibilidade, ou seja, se aplicadas da maneira correta em finas camadas, podem até mesmo ser utilizadas em parachoques e peças plásticas, desde que você aplique os componentes adequados conhecidos como promotores de aderência (ex: seladora para plástico).

O preconceito com a massa na área de repintura automotiva:

Muitas pessoas criticam o uso da massa, e com certa razão ao meu ver, pois existem muitos prestadores de serviço que as utilizam de maneira errada, fazendo por exemplo:

  • Uso de massa em locais inapropriados: Plásticos altamente flexíveis, que sofrem torção. Como meio de colar partes de peças umas as outras. Como meio de solda plástica em parachoques, ...
  • Uso em superfícies sem a devida preparação prévia: Lataria sem lixamento com gramatura de lixa correta, com a peça suja, em superfícies com sinais de corrosão, aplicação de massa em superfícies sem aderência, como por exemplo massa rápida que menciona em suas instruções para aplicar somente após o fundo pu.
  • Uso para fins inapropriados: Tapar buracos e grandes defeitos, fazendo uso de muita massa para por exemplo fazer o preenchimento de uma ondulação proveniente de uma batida.
A finalidade da massa:

Remover pequenas imperfeições da chapa, normalmente utilizada no processo inicial do reparo após o lixamento de desbaste em uma pintura parcial ou completa, à fim de nivelar a superfície e remover alguns defeitos na chapa.

Também utilizadas após a aplicação e lixamento do fundo, aonde notamos porosidade ou pequenos defeitos que não conseguimos notar anteriormente com facilidade.

Estes são alguns dos cenários do uso da massa no processo de reparo automotivo.

Dicas de uso: 
  • Procure aplicar e trabalhar sempre em finas camadas. Aplicando uma camada em um sentido, aguardando o tempo entre demãos mencionado pelo fabricante e em seguida aplicando outra fina camada no outro sentido, categorizando uma demão cruzada.
  • Efetue o lixamento após 2 ou 3 demãos de massa no máximo.
  • Respeite o tempo de cura minimo para fazer o lixamento.
  • Utilize gramaturas de lixa apropriadas para a etapa de desbaste e refino da massa.
  • Reaplique massa da maneira mencionada até obter o nivelamento adequado.
  • Extrema limpeza no momento da aplicação.
  • Não exceda o tempo máximo de 2 ou 3 minutos para aplicação de qualquer tipo de massa.
  • Não utilize a massa quando a mesma já estiver muito grossa (desplacando na aplicação e deixando a superfície não preenchida).
  • Efetue movimentos firmes e em um sentido, uma única vez, para evitar que na próxima passada da espatula (solenoide) no mesmo local a massa se desprenda.
  • Ao final, você terá uma fina camada de massa, que possuirá até mesmo um certo grau de flexibilidade na chapa ou na peça em que está trabalhando os defeitos.
Lembre-se: 
  • Faça o tratamento correto da peça antes e depois da aplicação da massa.
  • Siga à risca as recomendações do fabricante.
Vamos ao vídeo?



Ao final deste post, estamos conscientes das diferenças da massa rápida e de uma das massas catalisadas que no nosso caso é a massa poliéster.
Além dos pontos mencionados no vídeo, ressalto que a massa rápida é mais fácil de ser utilizada e preenche muito bem a superfície, em contrapartida só pode ser utilizada após a preparação da chapa com a aplicação do fundo, seja ele pu ou universal, ou até mesmo a base de tinta devidamente lixada e aprovada no teste do solvente. Procure praticar a aplicação da massa (técnicas de aplicação) antes de aplicar em seu veículo. Para a pratica, opte pela compra da massa rápida pela praticidade de uso, pois as catalisadas possuem o mesmo mecanismo de aplicação porém são de uso bem rápido, exigindo bastante agilidade no processo de preparação e uso. E por fim, utilize os mais variados tipos de espátula que você puder, incluindo até mesmo as de borracha / silicone macias que encontramos em lojas de utensílios domésticos.

Gostou do post? Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário!

É isso aí pessoal! Um abraço e até a próxima!

Obrigado.

Um comentário:

  1. Gostaria de saber c após os pequenos reparos utilizando a massa rápida....depois do fundo Pu..... é necessário a passagem de fundo novamente... isso para micro riscos ou batidinhas de pedra no capô.....

    ResponderExcluir